Papel de parede ecológico

Mais

O papel de parede ecológico e inofensivo à saúde se caracteriza por materiais não poluentes e processos produtivos que economizam recursos. A sustentabilidade e a ausência de poluentes são importantes para consumidores informados.

Filtrar
262 modelos de papel de parede encontrados
 
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
262 modelos de papel de parede encontrados
Página 1 de 5
Der Artikel wurde erfolgreich hinzugefügt.
Für die Filterung wurden keine Ergebnisse gefunden!
Você visualizou 60 de 262 modelos de papel de parede

Papel de parede ecológico: O Guia

O valor de um papel de parede não depende apenas do preço, do design, dos extras e dos efeitos. Cada vez mais os consumidores privilegiam modelos de papel de parede sustentáveis, ecológicos e sem poluentes. Matérias-primas, processos de produção, composição de materiais e ingredientes: todos eles são importantes quando se trata de papel de parede ecológico. Eles protegem o meio ambiente, bem como nossa saúde e contribuem para processos produtivos que preservam matérias-primas valiosas.

Índice

O que é papel de parede ecológico?

O papel de parede ecológico é produzido de maneira consciente respeitando o meio ambiente, ou seja, sem matérias-primas à base de petróleo e usando em vez disso materiais renováveis de cultivo controlado. A reciclagem e as tintas à base de água também são fatores decisivos.

Evitando matérias-primas à base de petróleo

O carbono proveniente de combustíveis fósseis, como gás natural, petróleo ou carvão representa um problema para o meio ambiente e para a nossa saúde (gás de efeito de estufa, dióxido de carbono) e, portanto, deve ser evitado na produção de papéis de parede ecológicos. As matérias-primas à base de óleo para a produção de plásticos (por exemplo, PVC para papel de parede vinílico) são, portanto, substituídas por matérias-primas renováveis.

Uso de matérias-primas renováveis

A madeira (e a celulose obtida a partir dela) é uma matéria-prima importante para a produção de papel de parede. Plantas renováveis como grama, cortiça, bambu ou feno também são processadas durante a produção do papel de parede. A chamada biomassa, a partir da qual é gerada a bioenergia para eletricidade, calor e combustíveis, desempenha um papel fundamental no que diz respeito aos resíduos que podem ser reaproveitados para produzir novos produtos.

Cultivo sustentável e controlado

A madeira proveniente de florestas geridas de forma sustentável e as operações florestais que funcionam de acordo com elevados padrões ecológicos e sociais representam o ponto de partida para os modelos de papel de parede ecológicos. Nenhuma madeira é retirada de florestas protegidas, como florestas virgens tropicais ou boreais, sendo por isso essencial um monitoramento rigoroso das especificações ambientais.

Processos de produção com foco na economia de recursos e reciclagem

Na produção de papel de parede com base em papel, uma grande quantidade de resíduos de papel transforma o conceito ecológico em realidade. Neste contexto, o papel de parede tradicional feito de papel reciclado tem um muito melhor desempenho do que o papel de parede tradicional composto essencialmente de fibras e que usa madeira como matéria-prima. Todo o processo produtivo se foca na redução do consumo de água e energia, utilizando energias renováveis, e privilegiando níveis mínimos de consumo de recursos e de poluição das águas residuais.

Tintas à base de água

As tintas à base de água e sem solventes são as tintas escolhidas para papéis de parede ecológicos. São uma mistura de amido celulósico, cal, água e pigmentos de cores que não são prejudiciais para as pessoas nem para o meio ambiente. Você consegue diferenciar tintas e corantes de papel de parede à base de solvente ou à base de água só pelo cheiro.

Eliminação de resíduos de maneira ecológica

O papel de parede à base de papel que já foi usado (ou removido) ou as sobras de papel de parede não utilizadas não devem ser descartados junto com o papel, mas sim no lixo doméstico. Uma vez que se trata de um papel resistente à umidade, ele não se dissolve na água, o que significa que não é possível proceder à reciclagem do papel. No entanto, é possível gerar energia a partir de papel de parede antigo por meio da incineração de resíduos, possibilitando assim a distribuição de energia. 

Quais são as características do papel de parede sem poluentes?

O papel de parede sem poluentes não contém substâncias cancerígenas nem substâncias que ameaçam a reprodução e alteram o material genético. Não contém agentes amaciantes, enchimentos tóxicos, agentes de ligação e solventes, alguns conservantes, compostos voláteis orgânicos, corantes azo e formaldeído.

Sem componentes plásticos e plastificantes

O papel de parede que respeita o meio ambiente e a saúde não contém quaisquer componentes de plástico ou ftalatos de baixa volatilidade (plastificantes que podem ocorrer em papéis de parede vinílicos). Essas substâncias evaporam continuamente e são nocivas para o equilíbrio hormonal. Superfícies de papel de parede impermeáveis feitas de espuma ecológica e neutra são uma ótima alternativa.

Sem enchimentos tóxicos

Os enchimentos podem ser usados nos revestimentos de modelos de papel de parede sintéticos para melhorar a plasticidade e a maleabilidade ou para tornar a estrutura mais compacta. Evitar essas substâncias é uma característica típica dos papéis de parede não tóxicos. As alternativas compostas por enchimentos minerais naturais estão se tornando cada vez mais relevantes na indústria de papel de parede.

Sem agentes de ligação

Os agentes de ligação são usados para unir e fortalecer os componentes do material e para melhorar a durabilidade e a resistência à abrasão dos corantes do papel de parede. Os aglutinantes podem conter amaciantes ou outras substâncias prejudiciais à saúde. O papel de parede não tóxico não contém aglutinantes sintéticos e químicos e depende, em vez disso, de aglutinantes naturais como a proteína do leite.

Sem solventes

Os solventes e compostos voláteis são usados para separar ou diluir substâncias insolúveis em água. No que diz respeito ao papel de parede, podem ocorrer em tintas e corantes. Os solventes geralmente emanam um odor intenso, quase pungente, e são absorvidos pelas membranas mucosas. Eles podem estar na origem de tonturas, náuseas e problemas respiratórios.

Sem alguns conservantes

Tintas, revestimentos e acabamentos são frequentemente misturados com conservantes para garantir que sejam duradouros e higiênicos. Para o bem da nossa saúde, é importante escolher papéis de parede com cores e outros componentes que não contenham conservantes, pois estes podem causar alergias.

Sem compostos orgânicos voláteis (COV)

Os compostos orgânicos voláteis podem estar presentes em papéis de parede com revestimentos plásticos, tintas ou tratamentos de superfície especiais. Eles são liberados no ambiente e inalados. Apresentando efeitos temporários ou impactos negativos de longo prazo, os COVs são prejudiciais à saúde. Essas substâncias não são usadas em papéis de parede sem poluentes.

Sem corantes azo perigosos

Os corantes azo sintéticos são feitos com pigmentos contendo compostos de mercúrio, chumbo, cádmio ou cromo VI. Os corantes enriquecidos com componentes de metais pesados são considerados cancerígenos, às vezes até tóxicos, e por isso não são usados em papéis de parede sem poluentes. No que diz respeito ao papel de parede, essas substâncias estão proibidas desde 1980.

Sem formaldeído

O formaldeído é encontrado em corantes, tintas, colas e produtos adesivos e aumenta a resistência ao rasgo de papéis de parede com base em papel em caso de umidade. Muitos problemas de saúde estão associados a esta substância, razão pela qual os papéis de parede sem poluentes são produzidos sem aditivos químicos que contenham formaldeído. O formaldeído ocorre naturalmente na madeira, embora muito abaixo dos valores previstos, e a liberação de formaldeído no ambiente a partir de papel de parede é muito reduzida. 

Que tipos de papel de parede são ecológicos e livres de poluentes?

As matérias-primas e sua composição determinam se os papéis de parede podem ser classificados como ecológicos e sem poluentes. Papel de parede com base em papel e com fibras de madeira, papel de parede composto por materiais naturais ou celulose, bem como novos tipos de modelos TNT naturais atendem a esses critérios.

Papel de parede com base em papel

Os modelos de papel de parede ecológicos com base em papel não possuem revestimento e a quantidade de papel reciclado presente é de pelo menos 60%. Os papéis de parede à base de papel sem poluentes não são impressos e têm apenas uma única camada, quase sem nenhuma emissão tóxica. Para aumentar a resistência ao rasgo em caso de umidade, às vezes são adicionadas substâncias que podem conter formaldeído. Os biocidas, que têm como objetivo evitar a formação de limo no circuito de água da máquina de papel, também são utilizados no processo produtivo.

Papel de parede com fibras de madeira

Com 80% de papel reciclado, o papel de parede com fibras de madeira (wood-chip) está no topo da lista dos modelos de papel de parede ecológicos e inofensivos para a saúde. As aparas de madeira são adicionadas a três camadas de papel, dando ao papel de parede sua textura especial e granulada. O valor ecológico é maior quando a madeira bruta que dão origem às fibras e as aparas de madeira adicionadas derivam de uma silvicultura sustentável.

Materiais naturais sobre uma base em papel

Os modelos de papel de parede ecológicos também incluem aqueles em que materiais totalmente naturais são laminados sobre uma base em papel, como é o caso das fibras naturais feitas de grama, bambu, sisal, cânhamo, juta e cortiça. Os materiais naturais não podem ser tratados com fungicidas tóxicos. Nestes papéis de parede, a cortiça não é prensada à camada base / de suporte com resinas sintéticas, a aglomeração é feita com base nas resinas da própria cortiça.

Base de papel de parede TNT composta por materiais naturais

Relativamente à camada base do papel de parede TNT, muita coisa mudou nos últimos tempos. Atualmente, ela pode ser composta exclusivamente por matérias-primas renováveis de origem vegetal; um bom exemplo é o primeiro papel de parede totalmente compostável modelo Veruso Lino, feito de linho e viscose. Este modelo não contém aditivos como aglutinantes, corantes ou fibras sintéticas. Para manter suas excelentes características intactas, este papel de parede não deve ser pintado.

Base de papel de parede TNT composta por celulose

A base do papel de parede TNT convencional é composta por celulose misturada com fibras têxteis sintéticas ou naturais. Os dois componentes são aglomerados com um agente de ligação. O papel de parede TNT ecológico, composto exclusivamente por celulose, foi recentemente introduzido no mercado. Atualmente, os modelos disponíveis são projetados para receber apenas pintura. Relativamente à possibilidade de impressão de estampas no papel de parede, um protótipo ainda se encontra em desenvolvimento. 

Que novos desenvolvimentos desempenham um papel importante na produção de papel de parede ecológico?

Os modelos de papel de parede ecológicos estão constantemente a evoluir e a adaptar-se a novas possibilidades, especialmente no que diz respeito à reciclagem, saúde e preservação de recursos. Modelos de papel de parede compostáveis, veganos, orgânicos, biológicos e com carbono neutro estão atualmente disponíveis.

Papel de parede compostável

Os modelos de papel de parede como o modelo Veruso Lino, por exemplo, que são exclusivamente compostos por fibras vegetais e não são pintados nem revestidos, se degradam com o tempo como resultado do processo natural de decomposição. São, portanto, compostáveis e não liberam resíduos tóxicos que teriam de ser reciclados a um custo significativo, exigindo um alto consumo de recursos.

Papel de parede vegano

Para a produção de papel de parede vegano ou cola para papel de parede vegano, ingredientes de origem animal ou que foram testados em animais não devem ser usados. Idealmente, todos os componentes do papel de parede são compostos exclusivamente por substâncias vegetais. No futuro, seria importante existir um selo concedido por uma organização de teste independente para diferenciar esses modelos de papel de parede.

Papel de parede orgânico

Na produção de papel de parede orgânico, materiais naturais não tratados, como feno, musgo ou flores de prado, são secos após a colheita e prensados sobre uma camada base feita de linho. Nenhum produto químico é usado para a secagem, conservação e impermeabilização da superfície. Isso evita a liberação de alérgenos e conserva a fragrância natural.

Papel de parede biológico

O papel de parede biológico não contém toxinas e é composto por matérias-primas vegetais renováveis ou fibras recicladas, em grande parte livres de substâncias prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Além dos materiais, as tintas, os aglutinantes e outros aditivos também são ecológicos e total ou predominantemente biodegradáveis.

Papel de parede com carbono neutro

Um papel de parede com CO2 neutro indica que todas as emissões resultantes do processo de produção são compensadas pelo plantio de árvores no país produtor ou, por exemplo, no Brasil. Muitos fabricantes de papéis de parede com fibras de madeira iniciaram esse programa e lançaram no mercado os primeiros modelos de papel de parede com carbono neutro.

Embalagem sem plástico

"Papel em vez de plástico" é o lema das embalagens de papel de parede ecológicas, porque evitar o desperdício de plástico - que polui o ambiente e prejudica as pessoas - começa na embalagem que os fabricantes escolhem para seus produtos. Idealmente, todo o material das embalagens deve consistir em papel reciclado. 

Que modelos de papel de parede são adequados para as pessoas que sofrem com alergias?

Para quem sofre com alergias, muitas substâncias (incluindo as substâncias totalmente naturais) causam reações físicas desagradáveis, como tosse, espirro, coceira ou até mesmo problemas respiratórios. Superfícies lisas, bem como papéis de parede não tóxicos, são geralmente a melhor opção. Quem sofre de alergia deve evitar modelos de papel de parede com grama.

Superfícies lisas

Quem sofre com alergias deve escolher um papel de parede com superfície lisa, onde a poeira ou o pólen não possam aderir. A poeira fina (respirável) suspensa no ar deve ser muito reduzida, razão pela qual o papel de parede tecido não é recomendado para quem tem alergias. É necessário poder limpar as superfícies com um pano úmido ou esponja para não acumular poeira.

Papel de parede livre de produtos químicos

As substâncias químicas utilizadas na produção de papel de parede, incluindo os conservantes e as tintas contendo solventes, podem causar alergias. Os modelos de papel de parede sem produtos químicos, por exemplo aqueles em que foram usados vernizes de resina natural e tintas solúveis em água, são a melhor escolha para quem tem alergias. As tintas à base de dispersão aquosa estão disponíveis para dar um toque de cor.

Papel de parede com grama - não recomendado!

As pessoas que sofrem com alergias devem evitar modelos de papel de parede que contenham grama ou feno. O papel de parede com grama não tratada, em particular, pode causar rinite alérgica em pessoas com alergias. Em caso de dúvida, é aconselhável solicitar uma amostra de papel de parede e testá-la. Para quem gosta do visual especial do papel de parede com grama, existem modelos com imitações incrivelmente realistas.

De que forma o papel de parede ecológico favorece um clima interior saudável e natural?

Nos espaços dedicados às crianças e nos quartos infantis, o papel de parede ecológico contribui maravilhosamente para um ambiente que reflete um estilo de vida saudável. Ele deve ter uma superfície permeável / respirável e ser feito com materiais capazes de regular a umidade.

Superfície permeável

Uma superfície de papel de parede permeável evita que a umidade do ar se deposite na superfície, criando um terreno fértil para microorganismos nocivos e fungos. Neste caso, a quantidade de camadas de tinta deve ser moderada, porque quanto mais a superfície for pintada, mais a permeabilidade é reduzida.

Materiais reguladores de umidade

Os materiais de papel de parede com poros abertos regulam naturalmente a umidade. Eles absorvem a umidade do ambiente, retêm-na e a liberam-na gradualmente de volta para o ambiente. Isso garante uma circulação adequada do ar, o que também evita a formação de fungos e mantém o clima do espaço saudável.

Respirabilidade

Para garantir a respirabilidade do papel de parede ecológico, nenhuma substância que prejudique suas propriedades de regulação do clima pode ser usada. Se um aglutinante de resina sintética for aplicado entre as fibras naturais e uma base em papel, a respirabilidade do papel de parede tende a reduzir ligeiramente. A caseína ou um aglutinante de resina natural são as melhores opções para aglomerar os materiais.

Prevenção de fungos

As partes mais frias de uma parede interna (geralmente paredes exteriores e com janelas) são mais suscetíveis à umidade, que por sua vez é um terreno fértil para o aparecimento de mofo. Na hora de escolher o papel de parede, é importante garantir que ele é respirável e possui propriedades que permitem regular a umidade. A umidade presente nessas paredes não deve ser coberta com o papel de parede ou a tinta errada. 

Qual a cola mais ecológica para papel de parede?

Não é só o papel de parede que contribui na preservação do meio ambiente: a cola para papel de parede também deve ser feita com materiais naturais e sustentáveis. Hoje em dia, existem colas ecológicas compostas por metilcelulose pura que não contêm resinas artificiais nem conservantes.

Metilcelulose pura

A cola para papel de parede composta por metilcelulose pura está disponível em forma de pó. Deve ser misturada com água, obtendo-se, em poucos minutos, uma solução homogênea, sem grumos, de consistência espessa e com forte poder de adesão. A metilcelulose é obtida, através de um processo complexo, a partir da celulose, que por sua vez resulta de fibras de madeira.

Sem resinas artificiais

Quem deseja usar colas de papel de parede ecológicas deve se certificar de que elas não contêm resinas artificiais. Estas muitas vezes servem para intensificar o poder de adesão. No caso dos modelos de papel de parede que requerem uma cola particularmente forte, é recomendado usar um revestimento de parede adesivo à base de borracha natural. É indicado para papéis de parede feitos com tecido grosso, têxteis, materiais TNT, metais, PVC ou modelos à base de papel pesados.

Sem conservantes

Uma cola que respeita a saúde e o meio ambiente não deve conter conservantes. É claro que isso significa que não é tão durável e deve ser usada mais rapidamente do que uma cola comum contendo substâncias antibacterianas e fungicidas. Dica: Misture somente a quantidade de cola necessária tendo em conta o tempo que você precisa para a aplicação. 

Qual é a função da certificação FSC no que diz respeito às matérias-primas presentes em um papel de parede?

“FSC” é um sistema de certificação florestal. A floresta, enquanto ecossistema valioso e digno de proteção, com todas as funções ligadas à flora e à fauna, é a essência deste sistema.

Sistema de certificação florestal

FSC é a abreviatura de Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal), uma organização não governamental sem fins lucrativos com sede em Bonn (Alemanha). O selo FSC representa a salvaguarda de importantes critérios ambientais e sociais que promovem o bom manejo das florestas. O certificado garante que a produção de madeira e de papel resulta de florestas manejadas de forma responsável.

Proteção do ecossistema florestal

O foco principal do FSC é a proteção do ecossistema florestal. É imprescindível preservar as funções ecológicas das florestas das quais a madeira é retirada e proteger as espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção. Por esta razão, princípios e critérios rigorosos são aplicados para um bom manejo das florestas. O monitoramento e a respectiva documentação são obrigatórios.

Que tintas de parede devem ser usadas com papel de parede ecológico?

Só devem ser utilizadas tintas de parede livres de solventes ou aditivos tóxicos. Tintas de resina natural em dispersão aquosa, tintas de têmpera, tintas à base de caseína, tintas à base de óleo de linhaça e tintas de silicato estão disponíveis.

Tintas de resina natural em dispersão aquosa

As tintas de resina natural em dispersão aquosa são umas das tintas de parede naturais mais conhecidas e comuns. Elas consistem em uma mistura de pigmentos dissolvidos em água que se ligam graças a resinas naturais (em vez de resinas sintéticas). Quanto maior a proporção de resina natural, mais resistente à abrasão e à umidade será a tinta.

Tintas de têmpera

A têmpera tradicional é feita de giz natural ou pedra calcária em pó e usa cola solúvel em água como aglutinante. As tintas de têmpera são à prova de manchas e oferecem uma boa cobertura, mas devem ser lavadas antes de voltar a pintar com outros tipos de tinta. Os pigmentos de cor são misturados para tingimento de cor.

Tintas à base de caseína

A caseína é o principal componente da proteína do leite (80%) e um aglutinante natural para tintas à base de caseína. Elas são compostas por água, caseína, pigmentos e cal. Em ambientes úmidos, elas não são recomendadas. Elas podem produzir amônia em superfícies alcalinas. Devido à sua reduzida durabilidade, a tinta à base de caseína acabada de misturar deve ser usada imediatamente.

Tintas à base de óleo de linhaça

As tintas à base de óleo de linhaça puro consistem em óleo de linhaça desengomado, aquecido ou prensado a frio e pigmentos. Este tipo de tinta é natural, sem solventes e puro de ponto de vista biológico. Esta tinta é tradicionalmente usada para pintura em madeira, especialmente na Escandinávia. As tintas à base de óleo de linhaça são vantajosas no que diz respeito à respirabilidade.

Tintas de silicato

As tintas de silicato usam o silicato de potássio como aglutinante. O silicato de potássio é produzido derretendo areia de quartzo (silicato) e potássio (carbonato de potássio) e adicionando água. As tintas de silicato são permeáveis ao vapor de água e têm um efeito fungicida. Durante o processo de pintura, essas tintas penetrem e se fundem com a superfície que deve ser mineral para uma melhor aderência.

Quais são os processos produtivos dos fabricantes de papel de parede que optam por métodos ecológicos?

Cada vez mais fabricantes de papel de parede assumem sua responsabilidade ecológica. Isso se reflete na reciclagem de resíduos, no tratamento de água, nas embalagens de papelão reciclado e nos processos de produção que visam a economia de energia.

Reciclagem de resíduos

Os fabricantes que se preocupam com o meio ambiente reciclam até 100% dos resíduos secos gerados durante a produção. Isso significa que qualquer desperdício de papel gerado volta para o ciclo de produção. A reciclagem também compensa economicamente, uma vez que os materiais residuais usados são geralmente puros e livres de contaminantes.

Tratamento de água

Antes de pensar na recuperação e no descarte, é essencial evitar desperdício: esta é, em suma, a hierarquia dos resíduos. Nesse contexto, o consumo consciente de água é o primeiro passo para os produtores, pois resulta em menos resíduos líquidos. Além disso, mais de 97% dos resíduos líquidos podem ser reciclados. As maiores fábricas de papel de parede costumam ter seus próprios sistemas de tratamento de água.

Embalagem feita de papelão reciclado

Enquanto material usado em embalagens, o papelão reciclado protege o meio ambiente porque é feito a partir de resíduos de papel. Isso inclui, por exemplo, as embalagens de papelão para os rolos de papel de parede e grandes paletes, resultando no uso de mais de 75% de matéria-prima reciclada.

Processos produtivos que visam a economia de energia

O uso eficiente de energia, que conecta o maior número possível de etapas durante a produção, distingue os fabricantes de papel de parede que se preocupam com o meio ambiente. Neste contexto, a utilização de energias renováveis ou bioenergia é tão importante quanto o cumprimento dos requisitos rigorosos estipulados para os certificados ambientais.

Quais são os fabricantes de papel de parede que produzem papel de parede ecológico (predominantemente ou exclusivamente)?

Os fabricantes estão cada vez investindo na produção de tintas e papéis de parede ecológicos. Entre os fabricantes que já fazem algo a favor do meio ambiente, do clima e de uma vida saudável estão Erfurt & Sohn, Farrow and Ball, Pihlgren ja Ritola Oy e Little Greene. 

Erfurt & Sohn

A empresa familiar alemã Erfurt & Sohn, com sede em Wuppertal, é considerada a inventora do papel de parede com fibras de madeira e é uma das empresas “verdes” que estão comprometidas com a sustentabilidade e a responsabilidade ecológica. A gama de produtos inclui papéis de parede com relevo e com base 100% papel puro, papéis de parede TNT respiráveis e sem PVC e a grande novidade de 2020, papéis de parede com carbono neutro.

Farrow and Ball

Este tradicional fabricante britânico de papel de parede de alta qualidade e tintas refinadas com sede em Dorset trabalha de acordo com critérios ecológicos e a favor da saúde rigorosos. O papel usado nos modelos de papel de parede é proveniente de florestas manejadas de forma sustentável e de produção responsável. Os padrões são adicionados com suas próprias tintas à base de água.

Pihlgren ja Ritola Oy

Padrões históricos e nostálgicos são a especialidade desta empresa finlandesa que usa apenas bases em papel não branqueado e tintas naturais para seus papéis de parede. Os modelos populares são produzidos em máquinas antigas de 1875 usando as técnicas de impressão de superfície. Pequenas imperfeições, imprecisões e divergências sutis são características intencionais que garantem sua exclusividade.

Little Greene

O fabricante britânico de tintas e papéis de parede Little Green está no mercado desde 1773. A empresa está empenhada em uma produção sustentável e socialmente responsável. É conhecida por seus modelos de papel de parede coloridos que se inspiram em padrões históricos dando-lhes um toque moderno. Métodos  de impressão tradicionais, papel de alta qualidade e tintas à base de água favorecem o conceito ecológico.

Dicas: ideias de decoração com papel de parede ecológico

  1. Como distinguir um papel de parede ecológico: os papéis de parede sustentáveis e inofensivos para a saúde apresentam selos, certificados e padrões de testes relevantes, que também são premiados pela melhor eficiência ecológica possível. Entre as certificações mais relevantes estão: The Blue Angel, eco-Institut Label para produtos têxteis, Natureplus, Reach, Greenguard ou STANDARD 100 by Oeko-Tex. 
  2. Prados e campos naturais com grama em ambientes que dão a sensação de estar ao ar livre: Seja no estilo moderno, minimalista, asiático ou rústico - a grama cultivada naturalmente e colocada em bases de papel de parede dá um toque natural e original ao ambiente que se beneficia dos seus efeitos positivos. As plantas perenes contribuem para esta decoração.
  3. Veruso Lino para um maior conforto: O primeiro papel de parede totalmente compostável é feito de linho e viscose e é extremamente durável, respirável, macio ao toque e com textura natural. Sua delicada cor creme combina elegância com originalidade. Somente a cola orgânica para papel de parede pode ser usada para aplicar este modelo.
  4. O princípio do papel de parede ecológico para decorar espaços infantis: Sensibilize as crianças para a proteção do ambiente e da saúde de forma fácil e lúdica. Para isso, escolha modelos de papel de parede com base em papel ecológicos, que podem ser decorados com tintas naturais solúveis em água dando asas à sua imaginação. Use apenas cola para papel de parede ecológica composta por metilcelulose pura.